Minha experiência na Meia Internacional do RJ - Alê Corredora

Eu havia adotado mudanças em meu estilo de vida, incluindo academia e melhorias na alimentação, porém não corria, nem me passava pela cabeça fazer isso, pois não aguentava nem dar uns trotes por menos de 1km.

Um ano após isso, passei por abalos emocionais por causa do fim de um casamento de 23 anos. Uma amiga minha viu minha situação e me chamou pra correr, dizendo que estava preocupada de eu ter que voltar a tratar de Depressão e da Síndrome do Pânico (que eu já tinha feito tratamento algum tempo antes).

Assim, comecei!! Em menos de um mês comecei a participar de provas de 5km, pegando minha primeira medalha. Apesar de já ter passado por lesões, por não ter tido acompanhamento e orientação de profissionais, pois minha única preocupação era ocupar minha mente, eu virei uma amante da corrida. Isso passou a ser a minha terapia e eu me tornei uma colecionadora de medalhas, de histórias e de muitos amigos.

Cada corrida ganho mais amigos e experiências!!

 

Quando fez um ano que eu estava correndo, participei da Corrida da Garoto, aqui no Estado (16km) e, no mesmo mês, fiz a minha primeira Meia Maratona.

Coloquei como meta de fechamento do 1° ano participar da São Silvestre e, assim, cumpri essa meta, tendo fortes emoções ali, que nunca esquecerei.

A partir disso, me animei mais ainda a Correr e participei de várias Provas e várias medalhas, indo inclusive pra Corrida de Porto Seguro. E quero participar de minha primeira Maratona ano que vem, pra comemorar o 3° Ano de Corrida.

Nesse contexto, fiquei pensando em como comemoraria meu Aniversário de 2° Ano de Corrida, até que um amigo, que entrou na minha vida através da Corrida, me convidou pra ir participar da Meia do Rio, pois ele já foi várias vezes e se encantou, indo todo ano agora (onde foi a primeira Meia Maratona dele).

Gostei muito da ideia e me organizei pra ir.

Foi maravilhoso participar dessa Prova, não só por comemorar meu aniversário de Corrida de um jeito especial, mas por ter sido uma Corrida marcante em muitos sentidos.

Comecei a fazer acompanhamento com um orientador especialista de lesões de corrida, pois decidi que não quero parar de correr por isso, pois correr se tornou parte de minha vida. É o que me trás equilíbrio mental e emocional.

E eu passei por dor no joelho, por postura e pisada e estava me recuperando disso.

Então, essa Corrida foi um marco pra mim: Correr 21km com um percurso espetacular, no RJ, chegando ao final, sem dor, e em um tempo muito legal pra minha situação de recuperação de lesão(fiz os 21km em 2:05min), foi sensacional!!

E eu sou do tipo de corredora que curto cada minuto da corrida, mesmo quando o cansaço quer dominar. Admiro cada paisagem, até os edifícios diferenciados.

Quando fui olhar minhas fotos na Foco Radical pra comprar, tomei um susto: tinha 99 fotos, com um visual lindíssimo, com poses ousadas e descontraídas, que nem parecia que eu estava correndo 21km. Deu trabalho pra eu escolher as melhores pra comprar. Ainda não tinha passado por isso, até então.

Enfim, participar dessa Prova, foi simplesmente um miscelânea de emoções, que nunca esquecerei! Com certeza, ela já faz parte de minha lista de Provas que não quero mais deixar de ir, tanto pelas emoções, quanto pela estrutura de organização da Prova.

(Agradeço a oportunidade de partilhar isso com vocês!)

Att: Alenilda (a Alê Corredora, como meus amigos tem me chamado).

0Shares

Comentários

comentários